@NUASISNUASIS
Amor, relacionamentos e intimidade: 3 motivos para conversar sobre sexocover

Amor, relacionamentos e intimidade: 3 motivos para conversar sobre sexo

ISABELLE BEDÊ

 

Quantas vezes você já ouviu “fazer amor” para fazer sexo? Dos nossos pais aos nossos casais de filmes preferidos, nós crescemos e entendemos que amor e sexo costumam andar super juntos em relacionamentos românticos. Mas, amar x parceirx não significa que todas as transas vão ser boas (algumas não serão boas de jeito nenhum) - e isso acontece. 


Isso também não significa necessariamente que você e o seu amor são incompatíveis, ou que a paixão diminuiu. Muitas vezes, vocês só precisam aprender a conversar mais - sim, sobre sexo. Pensando nisso, nesse dia dos namorados, nós, dos Lábios Livres em parceria com a Nuasis, resolvemos listar 3 motivos pelos quais você deve priorizar falar sobre sexo com x parceirx.  


Assim que começamos um novo relacionamento, a necessidade de diálogo pode não parecer uma necessidade a princípio. Mas com o passar do tempo, elas começam a virar urgentes. E se você conseguir estabelecer esse canal de comunicação desde o início, garantimos que você não só vai conseguir otimizar o seu prazer, mas também o seu relacionamento e, consequentemente, sua felicidade. Ficou curiosa? Vem com a gente que a gente te conta mais!

1- Sem vergonha: o diálogo diminui o nervosismo

O "relaxa e goza", mais do que um meme antigo, é um fato. O nervosismo é um dos motivos pelos quais muitas mulheres não conseguem focar no seu próprio prazer e atingir o orgasmo. Quando estamos estressadas, além de não conseguirmos nos concentrar no prazer corporal, o nosso corpo libera cortisol, que acaba por atrapalhar os nossos neurotransmissores do prazer, dificultando a liberação de endorfina e dopamina (hormônios do prazer), o que consequentemente impede a lubrificação adequada e o clímax. 

 

A cada vez que você conversa sobre sexo abertamente, você aumenta sua segurança e confiança durante a relação, além de abrir um canal de comunicação novo, empolgante e seguro. No começo, pode ser um pouco difícil. Já que somos ensinadas desde a infância a reprimir conversas sexuais, o assunto costuma ser um tabu e pode dar a sensação de culpa, de estar fazendo algo errado. Mas é preciso quebrar essa barreira - sexo é um dos atos mais instintivos do ser humano, e reconhecer nossa sexualidade é essencial para o bem-estar pessoal e para a saúde dos nossos relacionamentos (como dissemos no início e você já sabe, sexo e amor andam juntinhos).

 

 

Foto por Ana Shvet

 

2- Acolha o prazer: dizer o que gosta vai aumentar seus orgasmos

Além da conversa ajudar na hora do nervosismo, o fator mais importante aqui é: se você não falar sobre o que você gosta, não tem como a outra pessoa adivinhar. Para uma vida sexual saudável e prazerosa, dialogar sobre o que gostamos é primordial.

 

De acordo com uma pesquisa do Programa de Sexualidade (Prosex), realizada pela faculdade de medicina da Universidade de São Paulo (USP), 55% das mulheres brasileiras relatam não atingir o orgasmo. Entre os motivos, estão: falta de autoconhecimento, ideia equivocada de que se deve gozar com penetração e a falta de comunicação com o parceiro sobre o que realmente traz prazer. De acordo com as mulheres envolvidas na pesquisa, sexo oral, estimulação clitoriana e masturbação são os principais meios de chegar ao clímax.


Entre a população mais jovem, a conversa sobre sexo flui um pouco mais fácil, visto que atualmente existem mais movimentos coletivos que estimulam a quebra de tabus e a liberdade sexual. Já com a população mais velha, tendo crescido num ambiente mais conservador e reprimido, falar sobre sexo é um tabu ainda mais difícil de ser quebrado, com muitas mulheres não sabendo, por exemplo, se já gozaram.


Por isso, tente sempre reservar um momento para conversar honestamente com o x parceirx, inclusive e principalmente sobre sexo. E não se preocupe se o que te dá prazer não é o que dá prazer à sua amiga - cada pessoa tem sua jornada pessoal de descoberta do prazer e da sexualidade. Além disso, o corpo da mulher é especialmente mágico quando se trata de prazer, visto que existem vários tipos de orgasmos femininos


A propósito, as sensações de bem-estar derivadas do nosso clímax não dão prazer por acaso! Durante o orgasmo, o nosso organismo libera os chamados "hormônios da felicidade”, que são neurotransmissores que regulam o nosso humor. Algumas das substâncias liberadas são a ocitocina, serotonina, endorfina e dopamina, que atuam diretamente contra o cansaço, dor, tristeza, solidão e a favor da nossa produtividade e bem-estar. Comece hoje a conversar sobre o que você gosta sem medo e descubra um mundo totalmente novo, onde você é mais saudável, confiante e feliz.

3- Conecte-se profundamente: falar sobre sexo intensifica a intimidade 

Por último, mas não menos importante, casais que se sentem livres para conversar sobre qualquer coisa são mais felizes. Não só porque se tem mais orgasmos juntos, mas também porque compartilhar algo íntimo com alguém nos faz sentir mais conectados e mais confortáveis para sermos nós mesmos. 


De acordo com especialistas, se você se abrir para dialogar sobre sua vida sexual com x parceirx, você vai ser mais feliz em tudo, e não comunicar sobre isso pode ser um sinal de que vocês não se comunicam bem em vários outros aspectos do relacionamento. 


Outra coisa que você pode explorar é a conversa de travesseiro: um estudo americano mostrou que conversar após o ápice do prazer pode trazer vários benefícios ao casal, já que por conta da liberação da ocitocina, as pessoas se abrem mais e tendem a falar sobre coisas diferentes do que falariam normalmente. 

 

Foto por Dainis Graveris

 

 

Dialogando sobre prazer: dicas sobre como começar 

Agora que você já está convencida que conversar sobre sexo é importante para o seu relacionamento, talvez você se pergunte como começar e introduzir o assunto. Para que o impacto seja positivo, especialmente se tratando de assuntos que são considerados tabu, é importante ter algumas coisas em mente antes de abordar a pessoa que você ama.

 

Comece a conversa naturalmente: nada de "precisamos conversar"

Poucas coisas dão tanto frio na barriga quanto quando a pessoa com quem estamos nos diz que "precisamos conversar". Essa frase funciona como um gatilho imediato. Sendo assim, tente criar uma atmosfera confortável e apenas comece a conversar sobre isso naturalmente. Para criar um clima casual, a conversa nem precisa ser no quarto - vá para sala ou para a cozinha. Abra um vinho, chegue perto e comece falando de você. 

 

Seja positivo: foque em feedback construtivo e nunca destrutivo

O feedback sempre tem que vir de uma vontade de ajudar ou melhorar algo, e nunca de uma frustração. Sendo assim, estabeleça uma atmosfera positiva, começando por coisas que você gosta na sua vida sexual em par - algo como "eu adoro quando você faz isso" já ajudaria a quebrar o gelo. 

 

Se você usar alguma linguagem negativa ou acusatória, como "eu odeio quando você faz isso" ou "por que você não faz aquilo", você vai trazer insegurança para o outro, o que pode causar o efeito contrário do que você quer alcançar com a conversa. E definitivamente não é isso que a gente quer, né? A questão é justamente criar um ambiente seguro para as pessoas envolvidas. 

 

 

Pratique não levar para o lado pessoal

Ao mesmo tempo que você tem que procurar estabelecer uma linguagem positiva e dar feedback construtivo, você também precisa tentar não levar tudo para o lado pessoal e aprender a lidar com as críticas construtivas. Se o outro diz que não gosta disso ou daquilo, tá tudo bem! Isso não significa falta de amor. Entender o que dá prazer para cada um pessoalmente é justamente o objetivo de estabelecer o diálogo e intensificar o prazer em casal. 

 

 

Use o corpo 

Quando as palavras faltam, o corpo fala. Se tá difícil de iniciar a conversa, inicie com o toque acompanhado de perguntas ou comentários sobre o que elx gosta ou o que te dá prazer. 

 

 

Quebrar tabus leva tempo: seja paciente

Não só quebrar tabus leva tempo, a mudança também. Você provavelmente não vai conseguir os resultados almejados depois da primeira conversa, mas se os dois estiverem dispostos a evoluírem juntos nesse âmbito da vida, a adaptação vem com o tempo. Quão mais confortáveis vocês se sentirem em falar e aplicar o que discutem sobre sexo, mais rápido e mais efetivas serão as mudanças. 

 

 

Pratique o autoamor: você precisa se conhecer para dizer o que gosta

Se você não conhece o seu corpo e não sabe o que você gosta, fica difícil você comunicar o outro sobre isso. A masturbação é a principal forma de conhecer a si mesma, já que sozinha é geralmente quando você se sente mais confortável. É grande a falta de conhecimento sobre a sexualidade feminina e o tabu sobre a masturbação, mas felizmente atualmente já existem páginas e comunidades bem legais para se informar e discutir sobre o assunto. No nosso projeto de conteúdo Lábios Livres, nós usamos a nossa conta no Instagram e nosso blog para trazer sexualidade feminina pro centro da conversa de uma maneira simples e descontraída. 

 

---

E aí, você já conversa sobre sexo no seu relacionamento? Compartilha com a gente a sua experiência! No mais, nesse dia dos namorados, tenta aproveitar e praticar o amor real: com conversas, compreensão, pele com pele e, claro, muito prazer.

 
 
ISABELLE BEDÊ

Jornalista, marketeira e co-fundadora dos Lábios Livres. Também é mestre em mídias digitais, apaixonada por música e escreveu a dissertação do mestrado sobre memes.

A sexualidade não é feita para ficar, exclusivamente, entre quatro paredes. Suas simbologias permeiam o dia a dia e atravessam as vivências. Por isso, acessórios são chances de usar símbolos e carregar ideias dessa energia vital. Mergulhe nessa experiência.

Luz del Fuego: a bailarina vanguardista e fundadora do movimento naturista no Brasil dá nome à primeira nossa coleção de lingerie. A coleção é composta por 6 modelos, entre calcinhas, sutiãs, caleçon e body. Feitos em seda ou tule, com amarrações e fendas estratégicas. Take a look.

banner inferior home